Sejamos sinceros: você acha que, ao se aposentar, o governo irá pagar uma boa renda? Com raríssimas exceções, a resposta é um sonoro NÃO.

Assim, pense no seu futuro, naquele momento no qual você não irá mais querer ou poder vender seu tempo por dinheiro. Como complementar uma receita da aposentadoria oficial insuficiente? Melhor pensar sobre isso agora e colocar em prática algum plano de ação do que esperar o futuro chegar e descobrir que as contas não fecham. Pode acreditar: o futuro chega mais rápido do que parece.

Então, quais medidas poderíamos colocar em prática para melhorar nosso futuro e ter uma complementação da previdência oficial?

A primeira delas só depende de você e das escolhas que são feitas todos os dias. Você precisará guardar mais dinheiro do que precisaria no passado. Sim, será um sacrifício a mais, mas existem maneiras de minimizar isso, como uma boa gestão de seus gastos e escolhas mais assertivas, que mantenham o estilo de vida, mas com custo menor. Outra maneira é ter um bom planejamento tributário e, com isso, aumentar as chances de pagar menos impostos.

Só que essas medidas, embora importantes, poderão não ser suficientes. O dinheiro que você guardar também deverá ter um rendimento compatível com seus objetivos, dado o seu perfil como investidor(a). E essa é uma tarefa bastante complexa.

Antigamente no Brasil o ato de investir era simples: com juros de 15% ou 20% ao ano ou ainda mais, bastava colocar o dinheiro em produtos simples de renda fixa e esquecer o assunto. Essa realidade mudou drasticamente e a taxa de juros básicas é hoje pouco superior a 2% ao ano. Se pensarmos que os rendimentos terão imposto de renda e serão corroídos pela inflação, o que sobra, na prática, é quase nada.

Assim, é muito importante construir e manter uma carteira de investimentos realmente diversificada, que tenha um ótimo controle de riscos, mas que busque as melhores rentabilidades ao longo do tempo. No entanto, não se engane: além de uma tarefa para profissionais do setor, as forças de mercado farão com que em alguns períodos, que podem ser semanas, meses ou mesmo anos, os resultados não serão bons. Da mesma forma, existirão semanas, meses ou anos de retornos incríveis. Não se desespere quando estiver ruim, nem se empolgue quando estiver muito bom. O mercado oscila e, com ele, todos que estão dentro.

Um erro comum é tentar antecipar os movimentos do mercado. Acertar a hora de entrar ou sair da bolsa é um sonho. Mas é apenas isso: um sonho. Apesar de vendido por muitos ilusionistas do mercado como sendo algo possível, todos os estudos demonstram que não é. A decisão mais assertiva é “ficar no mercado” o maior tempo possível, passando pelas altas e baixas e deixar os movimentos de prazos mais curtos para os profissionais a cargo da gestão de sua carteira.

Com tantas necessidades como guardar mais dinheiro e tantas complexidades como montar e gerir uma carteira, quais caminhos poderíamos seguir?

Um plano de previdência complementar pode ajudar, e muito, nessa missão. Se bem adequado às suas características, ele pode fazer você pagar menos impostos, auxiliando na missão de guardar mais dinheiro. Além disso pode também compor um planejamento sucessório, caso seja necessário no seu caso.

Por fim, mesmo que você ainda tenha aquela ideia de que planos de previdência são investimentos caros e ruins, com rentabilidades baixas, vale analisar o novo cenário.

É verdade que a maior parte dos fundos de previdência ainda são caros, concentrados em renda fixa, pouco diversificados e, para simplificar, ruins. No entanto, isso não quer dizer que todos sejam assim. A evolução do mercado dos fundos de previdência, tem contado com alguns dos melhores gestores do Brasil montando seus próprios fundos de previdência.

Desta forma, existe sim uma luz no fim do túnel, que pode te ajudar a economizar dinheiro e investir bem.

Como as escolhas não são simples, é fundamental que você seja bem assessorado(a) na escolha do tipo de plano (PGBL ou VGBL) e na escolha da tabela do imposto de renda (progressiva ou regressiva). Consulte um profissional competente e de sua confiança, que pode ser um corretor de seguros especializado em previdência ou um planejador financeiro pessoal.

Como último obstáculo após a escolha do tipo de plano e de tributação, falta a escolha do plano de previdência ou, eventualmente, de vários planos que componham uma carteira. Essa também não é uma tarefa fácil e, infelizmente, é muito difícil que os mesmos profissionais que te auxiliaram nas definições anteriores tenham a expertise para essa escolha.

São centenas de opções no mercado entre fundos de renda fixa, mistos, que incluem um percentual de renda variável e os multimercados, em geral mais modernos, nos quais o gestor tem mais liberdade de ação, dentro do escopo do que o regulamento permitir. Mesmo que você faça uma boa escolha, quem garante que não haverá novas e melhores opções no futuro?

Essa é uma dificuldade não apenas dos investidores, mas também dos profissionais do setor, que precisam indicar produtos para os clientes, sem que tenham em geral o conhecimento necessário para isso, além de terem que ficar monitorando o mercado para saber se não há melhores opções e, assim, indicar portabilidades.

Vendo essas dificuldades, o mercado evolui e nos últimos anos tem desenvolvido novos produtos que eliminam esse problema: são os fundos de fundos (FoFs) de previdência, nos quais uma equipe de gestão profissional monta uma carteira com diversos fundos e faz a gestão ativa, monitorando o mercado continuamente.

Assim, quem adere à esses planos, quando bem escolhidos, pode dizer adeus às portabilidades, porque uma equipe profissional faz as escolhas e a gestão.

Esse tipo de plano ainda é exceção no mercado, mas é seguramente uma tendência. Ele entrega a missão de escolher cada item para quem mais entende daquele assunto: o profissional comercial ajuda com a escolha do tipo de plano e da tabela do imposto de renda e uma equipe profissional de gestão escolhe os fundos que vão compor a carteira e faz a gestão ativamente.

A Fiduc sempre acreditou nesse modelo e seu Superfundo de previdência tem uma carteira com dezenas de fundos entre os melhores do mercado, alguns exclusivos, escolhidos por profissionais que gerenciam continuamente e alteram a carteira sempre que encontram melhores opções.

Fale com um Planejador Fiduc e conheça mais detalhes, para poder economizar, buscar os retornos que você precisa e dizer: portabilidade nunca mais!

Share via
Copy link
Powered by Social Snap