Oi,

Quero compartilhar com você uma reflexão sobre o real valor de um planejador financeiro pessoal na vida das pessoas, em especial planejadores financeiros fiduciários. Vou tentar resumir em um desenho

Para ilustrar esse pensamento, imagine duas pessoas com vidas muito parecidas. Ambas são profissionais com carreiras que exigem muito trabalho, ambas têm dois filhos, ambas se envolvem com suas comunidades, atividades das crianças e com suas famílias.

Depois do trabalho, ajudam os filhos com as tarefas escolares, esquentam o jantar, lavam a louça, tomam banho e checam os últimos e-mails e mensagens do dia.

Finalmente, lá pelas 11 da noite é que as vidas dessas pessoas tomam rumos diferentes. Uma delas vai dormir, enquanto a outra senta e cuida das finanças da família.

Essa segunda pessoa encara seis questões:

  • Como investir?
  • Tenho os seguros que preciso?
  • Será que preciso de um advogado?
  • Eu guardei dinheiro suficiente para a faculdade das crianças? E para a aposentadoria?
  • Eu deveria me preocupar com o mercado financeiro e o que aconteceu nessa semana?
  • Como posso saber se é o momento de mudar alguma dessas coisas?

Essa pessoa gasta horas lendo livros, verificado sites e revisando relatórios. Ele tenta entender cada aspecto da sua vida financeira, de forma a poder tomar as melhores decisões. É um processo sem fim que se repete diariamente antes de ir dormir e que às vezes avança pela madrugada.

Nós sabemos que o processo de planejamento financeiro é incrivelmente importante, então, como a outra pessoa simplesmente foi dormir, sem se preocupar com nada disso?

Ela decidiu seguir por um caminho diferente. Ela tem uma equipe de planejamento financeiro em quem confia, que construiu um plano financeiro que faz sentido e com a qual se comunica regularmente. O resultado disso é que ela pode investir seu tempo com as coisas que realmente importam para ela, como sua carreira e sua família.

Olhe as diferenças nas vidas dessas duas pessoas e me responda: quanto valor tem isso?

O foco de um planejador financeiro é prover paz de espírito para os clientes poderem se preocupar com os demais aspectos de suas vidas.

No entanto, acho que muitos planejadores financeiros não conseguem demonstrar esse valor em suas comunicações.

Ao invés de discutir sobre o advento dos robô-advisors, verdadeiros planejadores financeiros deveriam explicar o porque de algumas decisões financeiras não poderem ser tomadas por algoritmos.

Um algoritmo pode mostrar que uma pessoa não deveria vender as ações, mas não pode fazer nada para mudar a ideia da pessoa. Se a mesma pessoa ligar para o seu planejador financeiro de confiança em um momento de pânico, no entanto, uma palavra correta pode mudar o foco da conversa de algo que está acontecendo no mercado agora para o que a pessoa quer para o seu futuro. E isso muda tudo.

Quanto isso vale para você?

Inspirado nos textos do planejador americano Carl Richards, criador do Behavior Gap, com tradução e adaptação livres

Share via
Copy link
Powered by Social Snap