Pergunta do leitor: Tenho encontrado muitas opções de investimentos em CDBs que estão pagando ao redor de 140% do CDI ou até mais. O problema é que fico desconfiado, pois já ouvi dizer que estes produtos são bem arriscados. É verdade?

Resposta de Carlos Caporal:

Os CDBs (Certificados de Deposito Bancário) são títulos de crédito emitidos por bancos cujo principal objetivo é captar recursos de investidores a fim de repassar para outros clientes na forma de empréstimos. Trata-se de um título privado, ou seja, você emprestará dinheiro para uma instituição financeira e recebendo juros por isso. Ao “emprestar” suas economias para instituições pequenas que, para atrair investidores, prometem um alto retorno, é necessário tomar alguns cuidados.

O principal deles é o risco de calote. Por causa disso, para proteger o investidor do risco de uma eventual falência da instituição financeira, existe o conhecido FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que dá uma garantia ao investidor de até R$ 250 mil por CPF e por Instituição. Apesar de se tratar de um produto de Renda Fixa que, teoricamente representa um investimento de menor risco, a presença do FGC na operação mostra que existe risco sim.

O segundo risco é da rentabilidade. Com a taxa de CDI abaixo de 2% ao ano, falar em 140% do CDI pode não ser um grande acréscimo de retorno em termos absolutos e causar frustração. O último risco é a liquidez. Normalmente rendimentos maiores exigem prazos de resgate mais longos, mas talvez você precise do dinheiro antes.

Assim, vale a reflexão: será que em prazos maiores, investimentos mais voláteis, como multimercados ou renda variável não tenderão a render mais com maior liquidez? Antes de investir, pense nesses 3 pontos (rentabilidade, liquidez e retorno) e verifique se eles atendem seu objetivo para esse dinheiro, dentro de uma visão de carteira. Preferencialmente, conte com profissionais para te ajudar nessas decisões.

Por InvestNews

Share via
Copy link
Powered by Social Snap